Museu do Futebol

15/08/2011 16:38

No dia 12 de agosto, finalmente tive a oportunidade de conhecer o Museu do Futebol. Dinamismo é fundamental para contar a história desse esporte. O modelo interativo é excelente, agrada ao público de todas as idades. Há detalhes da história, dos primeiros passos e chutes no Brasil e das Copas do Mundo. Didaticamente, os principais dribles e estratégias são explicados. Destaco os depoimentos de jornalistas sobre gols e lances que consideram inesquecíveis. Galvão Bueno diz que o momento após o Tetra “são os gritos mais histéricos da carreira”. Vejam o vídeo, que não foi gravado por mim (ver em vídeos).

Sinceramente, gostei do museu, mas confesso que fiquei um pouco desapontado. A estrutura é ótima, mas o acervo poderia ser maior. Achei também a abordagem um pouco viesada, privilegiado clubes e jogadores de São Paulo. “Claro!”, dirão alguns, afinal, fica no estádio do Pacaembu, em... São Paulo! Sim, faz sentido, mas não considero justo. A frustração aconteceu diante de ótimas idéias, que talvez pudessem ser mais desenvolvidas. Exemplo: ao final, há uma projeção em 3D. Peguei os óculos e me acomodei animado. O filme mostra apenas alguns minutos do Ronaldinho Gaúcho fazendo embaixadinhas. Legal, mas podia ser muito melhor. Em resumo, não se impressionem com os comentários negativos. O museu é bacana e vale a visita, parada obrigatória para todos que gostam deste jogo! Definitivamente, os grandes clubes deveriam ter museus próprios, como acontece com Barcelona, Real Madrid, Boca Juniors etc.

De quebra, meu almoço foi pastel com caldo de cana, numa feira em frente ao estádio. De preferência, vá com amigos. Excelente, recomendo o pacote completo!