Kilimanjaro: inspiração e revelação

16/07/2013 10:32

Confesso que falhei nos meus registros. Não posso garantir quando foi a inspiração, apenas conto a história. O Paulo é um mestre de apelidos. Ele é especialista em apelidos mutantes. Nosso amigo Rafael Seabra  que o diga. E me chamar simplesmente de Alvarenga, além de lugar comum e da falta de originalidade era... fixo! Acho que a pseudo-representação de Che Guevara animou o sujeito. Olhando para a minha barba de viajante, veio a iluminação: Mohammed Al-Varenga! Confesso que achei muito engraçado. Fazia sentido. Ainda na sul-africana Durban, os muçulmanos foram especialmente receptivos e simpáticos comigo.

Mohammed era um nome fácil, natural para os guias. Foi imediatamente adotado. Apelido não precisa fazer sentido, basta “colar”. Mohammed Al-Varenga era completo. Rompeu barreiras e facilitou a aproximação. Até sobre críticas contra muçulmanos extremistas eu tive que ouvir. Não foi simples explicar que era tudo brincadeira. No fim, acho que eu mesmo já estava acreditando...

Agora seria injusto deixar meu ilustre e eventual leitor curioso. Seguem as mutações do ilustre amigo Rafael Seabra: inicialmente padre, transformou-se em Rabino pela sua religião. Rabine, numa versão internacional ou simplesmente Bine. Há muitas outras adaptações que não precisam ser publicadas... Caríssimo Mr Bine (formalmente), se leu esse texto, entenda como uma homenagem aos meus amigos de mestrado!