Méritos guaranis e falhas tupiniquins

29/07/2011 13:28

Brasileiros e paraguaios não fazem gols nos 90 minutos usuais de jogo nem nos 30 minutos de prorrogação. O time brasileiro não marca em nenhuma das quatro cobranças de pênalti e é eliminado da Copa América de 2011. Apresentarei um ponto de vista polêmico, confesso.
A imprensa esportiva, em geral, destacou os erros brasileiros. Um diagnóstico comum foi que a classificação foi perdida por incompetência nossa. Impossível discordar desse ponto de vista depois que a bola parou de rolar e começaram as cobranças de pênaltis. Sem dúvidas, um capítulo vergonhoso na história da estrelada camisa amarela. Cem por cento de erro em 4 chutes, sendo apenas um na direção do gol. Seria desastroso em qualquer categoria; para profissionais, dispensa comentários. Não devemos culpar o péssimo estado do gramado; inadequado, entretanto igual para todos os jogadores.
O Brasil teve muitas oportunidades e não marcou gols. Não houve apenas falhas tupiniquins; a defesa guarani teve muita competência. O excelente goleiro paraguaio, Justo Villar, fez ao menos duas defesas extraordinárias, que com justiça, poderiam ser chamadas de milagre. Uma com a mão esquerda, após chute muito bem colocado de Paulo Henrique Ganso; outra com o pé, após ótima finalização de Alexandre Pato. Um zagueiro evitou um gol quando a bola passava pela linha. Apenas sorte deles e erros nossos? Lembro de uma famosa frase, que já ouvi atribuída ao lendário tenista sueco Björn Borg e, mais recentemente, ao golfista Tiger Wood. “Quanto mais eu treino, mais sorte eu tenho”. Do outro lado do campo estava um adversário bem treinado, organizado taticamente, ainda que inferior em técnica. Eventualmente o Paraguai teve sorte, sim, e faz parte do jogo. Teve também méritos ao não levar gols.
“Ah, mas eles apenas buscaram o empate”... Sim, em qualquer confronto entre brasileiros e paraguaios no futebol profissional, seremos a equipe mais tradicional. A favorita, com mais responsabilidade em busca do resultado positivo. Eles escolheram a melhor estratégia diante das possibilidades e tiveram sucesso na execução. Parabéns! Temos que treinar mais, corrigir os erros! Futebol, além de esporte coletivo, é praticado em contato direto com o adversário. O nosso desempenho não é isolado, é resultado de uma combinação de fatores. E não podemos esquecer que o outro time também quer, e pode (!) vencer.