A defesa rubro negra em 2011

29/07/2011 13:22

Nas últimas semanas, conversei com um amigo meu, João Paulo, sobre o desempenho do nosso time nesse início de Campeonato Brasileiro. Seus comentários foram muito precisos; reproduzo aqui alguns trechos. Destaco que o papo aconteceu no começo de julho, antes da chegada do Aírton, e no início de uma seqüência de vitórias.

Ele avalia que o Aírton não foi contratado para ser improvisado como zagueiro, mas como um cabeça-de-área que proteja a zaga e desafogue o Willians na marcação, que sozinho acaba fazendo muitas faltas e levando cartão amarelo todo jogo. Em suas palavras: “Por ser grande e forte, vai ficar mais difícil pros rivais lançarem nas costas da defesa, coisa que acontece desde o ano passado, pois tanto Willians e Maldonado são muito baixos. E também pela estatura e porte, vai ajudar na marcação das bolas aéreas, nos cruzamentos. Até porque zaga atual não é das mais altas. Na questão ofensiva, com o Aírton o time ganha mais opções de ataque, pq vai ficar mais fácil de liberar os meias de avançar pelas pontas, e o Renato e o Willians vão poder subir mais vezes pro ataque (mas com muita parcimônia! rs). Mas isso tudo não muda a necessidade de um zagueiro central, bom e experiente, pra botar ordem na casa.”

Digo, com alguma dose de ironia, que o Mauro Galvão é o melhor zagueiro de todos os tempos. Nada contra esse ótimo jogador, mas o exagero, a brincadeira, não está relacionada com as suas qualidades técnicas. Mas ao fato dele ter sido, na minha modesta opinião, o responsável pela ida do limitado Odvan para a Seleção Brasileira. Mesmo o Angelim nos seus melhores momentos atuou melhor com o Fábio Luciano e depois com o meu xará, Álvaro, enquanto o cidadão manteve uma fase boa.

“Quanto ao Angelim, cara, infelizmente não tem jeito. Também achei que ele daria conta, mas não dá, ele não consegue acompanhar a molecada mais. Eu sempre questionei o porque dele ser banco, de o time não jogar no 3-5-2 até pra liberar os nossos laterais, que são muito melhores apoiando do que defendendo, mas depois desses dois jogos, ele provou que não segura o tranco. É lento, pensa lento, e do lado de dois zagueiros que não são lá essas coisas, piora tudo.

Dizem que no jogo contra o Atlético a defesa bateu cabeça, tomou sufoco o tempo todo. Ontem ele praticamente deu o primeiro gol do América. O time todo falhou, não foi só culpa dele, mas ainda assim deu muita bobeira, pensou demais no que fazer com a bola. Naquele lance nem se pensa, é no reflexo um bicão pra longe. Não dá pra esperar a bola, tem que ir em cima dela. E com o tempo, acredito que a tendência piorar. O negócio é botar ele de embaixador do Fla no Nordeste, e fica td certo. Rs”

Confesso que fiquei surpreso com a análise. Minha primeira reação, ainda sob choque das duras críticas, foi de defesa radical do nosso zagueiro, autor do gol do hexa. Mas ele apresentou bons argumentos... (grifo meu!)

“A impressão que tenho agora é que nosso problema maior agora nem é o ataque, que é o mais positivo do campeonato, e que se não tem um bom centroavante, tem jogadores de meio que podem resolver o problema. A defesa é que precisa de um xerife urgente, está acéfala. Bola alçada na área do Fla hoje é 50% de um gol, não ganhamos nenhuma. O Felipe é igualzinho ao Bruno, bom na defesa de pênaltis e chutes diretos, mas fraco em antecipações, nas bolas aéreas e nas bolas paradas. (...)”

Por fim, sobre o Ronaldo Angelim, sentencia: “com todo o meu respeito e gratidão por todos os serviços prestados com muita vontade e lealdade ao clube, acho que tá merecendo uma despedida assim como o Pet. Com direito a 2 jogos, um no Engenhão e outro em Juazeiro do Norte. Estádios cheios com certeza, homenagens, bandeirão do Magro de Aço, placa e o escambau! Depois, tapinhas nas costas e vai descansar meu filho, que no gramado não dá mais não. Se a idade já limita o cara, ficar no banco muito tempo compromete e muito o desempenho dele, que não consegue se antecipar nas bolas nem acompanhar a molecada. Bota o coroa de frente com molequinho desses leve feito o Neymar, ou mesmo o próprio Negueba, já era. Vai empenar todinho! Rs”

Discordo e protesto. Mas não sei como rebater. Só mesmo uma melhora no seu desempenho para me ajudar na conversa...

Por fim, ele finaliza: “Pode ser que com a chegada do Aírton a zaga fique mais protegida e aí melhore, mas pode ser que não. Só o tempo vai dizer. Mas aos trancos e barrancos, bem ao estilo do Mengão, esse time ainda pode ir longe. Com um pouco de sorte e muita raça, dá! (...) Mas vamos devagar, o campeonato é longo, e eu não tô afim de me iludir e depois me desapontar com os lampejos do Dente e do resto do time, que eu acho que aos poucos, vai todo melhorando.”

A conferir!!